.

Música de fundo



domingo, 31 de maio de 2015

AUSENCIA, por Hélder Gonçalves


                                                         
                                                                

Naquela ponta de terra, mar adentro
Olho o infinito:
A nossa vida - A saudade, tanto tempo!
Sai num grito.
De longe, as musas trazidas pelo vento,
Fazem-me proscrito,
Prisioneiro de mim, do meu pensamento.
Estático fico.
 Diáfano manto -  de ti me lembro
Teu sorrir rico
A iluminar de branco o que contemplo
E que acredito,
Embora intangível será o meu templo
Onde sempre medito:
Aí, estendes as mãos, em breve momento.
De saudade sou mendigo.
Esperando em vão, teu regresso, num lamento



                                                                 Hélder Gonçalves
                                                                     Fev. 2012