.

Música de fundo



quinta-feira, 23 de abril de 2015

O NOVO HOMEM - por Hélder Gonçalves






O NOVO HOMEM



No fim da grande escuridão, no princípio de tudo
Brancas manhãs, onde agora as aves livres  voam
Nasce novo Homem, ciclo que também se  repete
Genuíno, em nudez, forte e inteligente sobretudo,
Organizando-se em clãs, por determinismo povoam
Sobre todos, Homo Sapiens, cósmica força os remete!
,
Nasce, outro Homem -  depois do zero e do nada
Cataclismos havidos no planeta azul, na mãe Terra
Guerras havidas - por elas, o Homem foi exterminado
O Fim do Mundo - a extinção da era humanizada.
Horrores passados, escuridão -  Tal catástrofe encerra,
Para tudo, no fim, voltar de novo a ser continuado

A História  assim se repete –  em determinismo Cósmico
Novo Homem aparecerá, em nova caminhada incumbida
Pelas forças Universais -  expansões, espaços aleatórios:
Lógica matemática, quântica, equações no campo atómico
Inteligência viva -  grandiosa harmonia nele concebida
O Homem finalmente sendo Deus, reinará  sem persecutórios !