OUTONO por Hélder Gonçalves


                        

                      Folhas soltas, cor de cobre,
no chão varridas pelo vento:
retalhos de esperanças caídas,
galhos de ilusões em tormento,
premonições em mim sentidas
Outono -  em tudo sou pobre!

No teu corpo me aconchego.
Em teu abraço me conforto.
Do teu  consolo vou vivendo.
Recordações? - o meu sossego;
no teu peito, em bom porto:
saudades de mim vou tendo!





Nov.2012

Mensagens populares deste blogue

SP – Sindicato dos Pobres

Honradez

Do hábito biscoitos d'açúcar