Avançar para o conteúdo principal

Versos Visionários


Meus versos não têm medidas.
São palavras deixadas num vão, 
à espera de solução e significados.
Leves e instantâneas, falam da vida,
de forma vadia e sem compromisso.

Vou buscá-las na gaveta da estante,
em papéis dobrados e envelhecidos;
e, submisso me entrego à decifração.
Nem sempre consigo a tarefa;
e, isso jamais me desconcerta!

A operação é consentânea,
acordada entre verso e poeta.
Promessas que me levam adiante,
são às vezes doces, outras caricatas,
dúbias, satíricas ou cortantes...

São diamantes a serem polidos,
teorias, jogos de adivinhação.
As palavras exigem cadência:
Com dedicação se tornam amigas
e passam a estar mais perto...

São estrelas e o reflexo na lagoa.
Se fogem à toa pela janela.
soam antigas e sem contexto;
vivem, por certo, noutra dimensão
onde o tempo cansou e se exauriu.

Mas, ao coração não importa,
se elas falam das flores de abril 
ou se exortam o céu de setembro.
Na verdade elas não têm serventia,
se bem me lembro, nada de concreto.

São palavras vazias por fora,
de gesso, nuas, quebradiças.
Mas, por ora, devo acrescentar
que são remédios para minha alma,
colírio, bálsamo e refrigério...

Cada rima em mim se arrasta,  
nesta minha cidade perdida,
cercada de grandes mistérios
nas ruas que  não conheço.
E, de verdade... isso me basta!

Deixem-me com meus delírios...
De vez, eu e minha cantilena,
circulando por aí, pelo universo! 
Queimem meus versos na fogueira,
se a vaidade um dia os possuir...

Se renasço numa rima ao acaso,
também vejo o fim que se avizinha.
Aprendi que no xadrez da vida
não é atraso consumir-me em versos:
Um poema pode valer uma rainha!

Autor: Expedito Gonçalves Dias(Profex)
Escrito em 03-09-2012 às 00:20 h
em www.blogdoprofex.com

Mensagens populares deste blogue

O Poema que não consegui escrever

Para Ti, o que podia ser um Poema
Para Ti e por Ti, tento ser poeta. Mas, nessa vã tentativa, tolamente só alcanço voar em asas infinitas,
seguindo para além do eterno, respirando ao som de lágrimas protegidas pela esperança: De mais um abraço apertado e mais um longo e doce beijo Sabe... Gostava de ser Poeta como Tu, somente para ter o poder de falar do meu coração direitinho apontado ao teu, mas a minha tentativa é tão tola - Pois sei que esse meu escrever de poeta nada tem, além de seguir em dor pela constância da madrugada, tecendo dentro do meu coração o mais perfeito da tua alma amada num receio de perder o fio do que em mim parece ser inteligência.
Porque amando-te meu Anjo, eu...queria ser poeta singela como as flores, Cálida como o amanhecer, terna como o teu sorriso. Porém terei de enfrentar a dura realidade aceitando contente, como uma pobre agradecida, a escassa esmola em aqui, ficar - Sentindo-te, olhando-te  apaixonada, entregue ao deleite do encanto e à saudade que sempre mo…

sorridente, calada e persistente.

Era para ser ao contrário dessa fumaça, que assoprada ou mesmo inalada se vai... Era para ser volátil como um passe despercebido de mágica. Era para ser apenas alguns segundos de choro, de lágrimas vazias de alegrias, preenchidas de vis solidões Era para ter sido, mas nunca foi, pois sempre é... Essa dor corrupta, invasora, que desdenha da minha confusão por não compreender, as razões da vida em impor ela em mim, como carrasca sorridente, calada e persistente. Era para ser uma nesga do que passou e dormiu no tempo, mas vejo que é meu presente: Resistente, crítico e decadente.

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬


Do hábito biscoitos d'açúcar

De pedaços de poesias 
Fiz uma nuvem de melodias 
No mundo de suaves revoadas 
Valsando em asas encantadas 

Nas palavras erguendo magias 
Dançando sons em rapsódias 
De paixões fragmentadas e fugidias 
Acolá, chegarei com outras histórias

Nos passos -  Carinho ao aconchegar 
Com doçura que imagina minha mente 
Meus sentidos se elevam  ao prestar 
Em compasso de superação finalmente! 

De Ti em mim sonhos... 
Infinitamente. 

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬