.

Música de fundo



sábado, 12 de julho de 2014

Quando morrer... by Rosa Maria

                                                 
Vistam-me de poesia...espalhem as minhas cinzas num roseiral
Declamem poemas de amor...não me chorem...apenas sorriam
Na minha campa não me deixem flores...deixem só um olhar
Na lápide escrevam apenas..aqui jaz aquela que há muito partiu

Não me lamentem quando for...deixem-me partir em silêncio
Deixem-me ir vagando no vento...deixem-me ir...docemente
Fechem-me os olhos com carinho e perfumem-me de incenso
Guardem o meu rosto e o meu nome na memória eternamente

Quando eu já tiver desaparecido nas noites brancas do além
E vagar num céu sem nuvens...cantem uma melodia de amor
Recitem-me um poema...não me chorem...não sou ninguém
Fui apenas uma sombra que pela vida passou vestida de dor

No tempo...além do tempo...flutua um corpo que foi vida
Deixem repousar os meus restos...no manto eterno da dor
Guardem na lembrança...a rosa vermelha...a roseira florida
Na minha campa...deixem um adeus...um poema de amor

Fui um sopro que passou...uma sombra...uma alma errante
Visto o roxo da morte...o meu rosto está frio...não o acordem
Serena como as rosas...te chamo eternidade...minha amante
Voando pelo infinito...vai meu corpo...morto antes da morte

Quando morrer...quero que me deixem nas mãos uma rosa
Não me chorem...digam-me adeus sem tristeza...não é o fim...
Pintem meus lábios de vermelho...vistam-me seda vaporosa
Levem-me para a minha planície...quero regressar a mim

Escrito por : Rosa Maria