.

Música de fundo



terça-feira, 27 de maio de 2014

Sou mulher madura...by Rosa Maria

                                             
                                           
Sou mulher madura...tarde de Outono e fogo do sol poente
Trago na memória a terra ardente da minha planície dourada
Nas mãos tenho a doçura de Maio...seara que já foi semente
Trago no sangue raízes profundas...no ventre da terra lavrada

Sou mulher madura...trago no meu corpo as marcas do amor
Palavras e gestos gravados a fogo na alma que teima em viver
Trago sonhos desenhados no gume da faca...no dorso da dor
Desejos dormentes nas mãos...que teimam em não adormecer

Sou mulher madura...trago no meu olhar a imensidão do vazio
Neste sangue queimando-me as veias...presságio de tempestade
Minha poção de cicuta...que lentamente vou bebendo e esvazio
Todo o veneno que contém esse pó que se chama eternidade

Sou mulher madura...trago no meu rosto o clamor do vento suão
Nas mãos tenho o orvalho das manhãs o desassossego da noite
Sou o canto profundo da madrugada...sou o mármore da paixão
Sou um grito de revolta dentro e fora de mim...sou vento norte

Sou mulher madura...amante doce da noite...a sombra da lua
Sou o lado obscuro do espelho...o princípio e o fim da estrada
Nada foi meu...nem mesmo essa cama onde me entreguei nua
Num breve e fugaz instante onde fui em ti o sol da madrugada

Sou mulher madura...amei demais...chorei demais e não me amei
Sou a carícia de um gesto fingido...solitária ruína do que não fui
Sou eu a esconder o rosto entre a solidão...onde me enclausurei
Com o corpo rasgado...as veias em chaga onde o sangue não aflui

Sou mulher madura...trago na pele o cansaço de passadas auroras
No meu rosto um sorriso desfeito...na boca o silêncio duma prece
Cinzeladas a fogo na carne...trago as ilusões de todas as demoras
Nos cabelos a cor das nuvens...marcas do tempo que se desvanece
  
Rosa Maria                   
                                                   rosasolidao.blogspot.pt/