.

Música de fundo



terça-feira, 4 de março de 2014

((IN) CONFISSÕES...





É tempo de tocar as águas turvas dos sonhos e dissolver em cores marinhas a face opaca dos pesadelos.
Pintar com pedra anil as vestes da solidão.
Nascer em mim a palavra escrita pela não dita, dando-te vida, o som... a manifestação dos gestos e o mais sutil dos afetos.
Tempo, e mais que tempo, de colar minha boca na tua e dentro do meu beijo semear os profundos desejos em camas de conchas.
Muito mais que tempo desnudar minha alma, despir meu corpo inteiro para ti - ventre e seios - seios para os afagos e ventre nu a pousar em teu abdômen morno.
É tempo de arrancar dos teus olhos todas as penumbras que te fazem sombras e fecundar um sol azul, uma estrada azul, um sonho azul, uma simples rosa azul em seu aroma azul.
Tempo de levar tuas mão para os meus íntimos abrigos e por eles passear em ais... em suaves gritos...
É tão somente e, preciso tempo, de revelar meus sentimentos -  a comunhão que tenho contigo, nos meus dias não mais solitários.
Tempo urgente de dizer-te que me quero plena e absoluta, que me ergo terna e uníssona mulher - diante de ti.


Malu Silva