Avançar para o conteúdo principal

O Silêncio Do Palhaço E A Cegueira Da Bailarina -The Silent Clown EA Blindness Ballerina





Ela a bailarina cega e sem pés
Movia as mãos suavemente ao encontro
daquele rosto que tão bem conhecia e amava.
O mundo via Nele a cara do palhaço
O nariz vermelho, os olhos tristes, apontando
o sorriso desmaiado, em lábios que nunca mais soube
pronunciar a última palavra.

Eram descartáveis,dispensáveis,incômodos.
Bizarros, segundo as leis do tacitamente correcto.

Ele o som do silêncio
Ela a imagem da cegueira
Ele exilado da humanidade
Ela expulsa do sonho
Ele um valente sem espada
Ela...
Ó quem era ela senão o eco
d'um ballet despedaçado?
Eles...
A Bailarina e o palhaço
fantasmas em turbilhões de movimento
Vagavam por entre as ruas escondidas
da cidade,perdiam-se pelas estradas
mortas.
Ela cega e sem pés carregada
pelo laços Dele o coração
Presa na força da sua memória
Vivia pelo pincelar que ecoava translúcido
Dele, o riso de margaridas e fumo de baunilha
Dela a tradução da poesia sem palavras
Assinando por repudio,entre as lágrimas das calçadas
o assassinato da melodia de todos os nomes 
que bebiam a sede da saudade.

Um dia...
A Bailarina tombou desfalecida
Ele no pavor da solidão
Cai para o lado do abismo
Seu grito
A despertou 
Das mãos fez-se os pés!
E...
Na ponta dos pés que não existiam
Ergue-se e atira-se
Para a luz da voz amada
Naquele segundo
No ar...
Entre o céu e o abismo
A voz Dele a fez 
pela última vez dançar

Abraçados...Por fora do adeus desconhecido
Finalmente descortinaram, que era ali naquele agora
 que estavam voltando para casa. 

...

Um miúdo que passava viu o acontecido
e gritou a plenos pulmões:

O Palhaço e a Bailarina
Agora são passarinhos!
Vejam!!
Lá está a origem do céu,onde a piada
é rir do que não tem lógica,
e ser feliz sem motivo algum.

O Populacho acudiu...pasmado:

Quem viu o espetáculo no abismo
e ouviu o menino,percebeu que por algum motivo,
tinham o privilégio de assistir o nascer fugaz daquilo que chamam
de:

MILAGRE.



Nota:

No aparente fim para dançar, os pés são desnecessários.
Para falar a voz não importa.
Para ver nem sempre os olhos são capazes.
O que realmente é valido:
É a capacidade de ser fiel e leal com a humildade
daquele que sabe que sua a vida sem a do outro 
é sem sentido,vazia, mas mesmo  assim honra o legado
da ausência.
Consciente de que nem sempre a filosofia alcança a verdade
das respostas do mistério do que dizem do que pensam ser:
Amor.
Amar verdadeiramente não é para qualquer um
nem para quem quer.



Ronilda David/Loubah Sofia - Alma Feita De Ti 
http://refugio-origens.blogspot.com.br/2013/11/oferta-de-amor.html

TODAS as Imagens: Google

Mensagens populares deste blogue

Do hábito biscoitos d'açúcar

De pedaços de poesias 
Fiz uma nuvem de melodias 
No mundo de suaves revoadas 
Valsando em asas encantadas 

Nas palavras erguendo magias 
Dançando sons em rapsódias 
De paixões fragmentadas e fugidias 
Acolá, chegarei com outras histórias

Nos passos -  Carinho ao aconchegar 
Com doçura que imagina minha mente 
Meus sentidos se elevam  ao prestar 
Em compasso de superação finalmente! 

De Ti em mim sonhos... 
Infinitamente. 

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬













Honradez

Honradez... Tua Manta De Diamantes
Amanheça Para a vida, Para o melhor quetem Respeita a aliança Acredite que adiante O real do que éseu legado Espera...
Amanheça Para a boa vontade de Dar as mãos E o perdão, compartilhar Os sonhos Os sorrisos O pão...
Amanheça E dê avocê, perdão Porque o erro reconhecido É acolhedor para a alegria Da humildade que afasta a tristeza ... E traz a esperança de que... Hoje, vai dar certo!

sorridente, calada e persistente.

Era para ser ao contrário dessa fumaça, que assoprada ou mesmo inalada se vai... Era para ser volátil como um passe despercebido de mágica. Era para ser apenas alguns segundos de choro, de lágrimas vazias de alegrias, preenchidas de solidões vis. Era para ter sido, mas nunca foi, pois sempre é... Essa dor corrupta, invasora, que desdenha da minha confusão por não compreender, as razões da vida em impor ela em mim, como carrasca sorridente, calada e persistente. Era para ser uma nesga do que passou e dormiu no tempo, mas vejo que é meu presente: Resistente, crítico e decadente.

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬