Avançar para o conteúdo principal

O “Refúgio” Da Tua Escrita




Caríssimo amigo Hélder.

Eu vejo, no teu texto, não um “Refúgio”, mas dois “Refúgios”.
A TUA ESCRITA COMO REFÚGIO E O REFÚGIO DA TUA ESCRITA.
Passo a explicar:
O “REFÚGIO” DA TUA ESCRITA:
O teu “Refugio” é uma história apaixonante, onde a qualidade literária não é importante, nem se exige, porque és tão virtuoso na linguagem, na capacidade narrativa comandada pela imagem e interacção, que o imaginário nos fixa de imediato.
Parabéns. Gostei muito.
Todavia, todos sabemos quem é aquele Fernando. Raramente conseguimos escapar e não retratar um pouco de nós. (os autores ocultam muito pouco) e esse espaço de nós, é muito visível nas nossas histórias. Isso é bom.
Daí a importância que se coloque em papel, este e outros “refúgios”, (porque a memória acabará por nos trair mais tarde ou mais cedo), de forma a torná-los acessíveis para as gerações vindouras

A TUA ESCRITA COMO “REFÚGIO”
O que nos leva a escrever um texto que tem gravados imaginários e referencias absolutamente pessoais?
É um método que utilizamos para combater e suplantar a dor.
Escolhemos, por isso, escrever, numa tentativa de libertar, perceber ou aprender a lidar com algo que nos perturba, intriga, provoca, ou fascina. A forma pode ser fragmentada, barroca ou rebuscada, mas o fundamento é sempre refugiarmo-nos na escrita, fazendo dela o nosso “Refúgio”.

Um grande abraço com amizade, incondicional.
E saudações literárias.


 Blogger Alice Ruivo 
escritora, poetisa

Disponível em nossa livraria Online
Visite! 

Mensagens populares deste blogue

O Poema que não consegui escrever

Para Ti, o que podia ser um Poema
Para Ti e por Ti, tento ser poeta. Mas, nessa vã tentativa, tolamente só alcanço voar em asas infinitas,
seguindo para além do eterno, respirando ao som de lágrimas protegidas pela esperança: De mais um abraço apertado e mais um longo e doce beijo Sabe... Gostava de ser Poeta como Tu, somente para ter o poder de falar do meu coração direitinho apontado ao teu, mas a minha tentativa é tão tola - Pois sei que esse meu escrever de poeta nada tem, além de seguir em dor pela constância da madrugada, tecendo dentro do meu coração o mais perfeito da tua alma amada num receio de perder o fio do que em mim parece ser inteligência.
Porque amando-te meu Anjo, eu...queria ser poeta singela como as flores, Cálida como o amanhecer, terna como o teu sorriso. Porém terei de enfrentar a dura realidade aceitando contente, como uma pobre agradecida, a escassa esmola em aqui, ficar - Sentindo-te, olhando-te  apaixonada, entregue ao deleite do encanto e à saudade que sempre mo…

sorridente, calada e persistente.

Era para ser ao contrário dessa fumaça, que assoprada ou mesmo inalada se vai... Era para ser volátil como um passe despercebido de mágica. Era para ser apenas alguns segundos de choro, de lágrimas vazias de alegrias, preenchidas de vis solidões Era para ter sido, mas nunca foi, pois sempre é... Essa dor corrupta, invasora, que desdenha da minha confusão por não compreender, as razões da vida em impor ela em mim, como carrasca sorridente, calada e persistente. Era para ser uma nesga do que passou e dormiu no tempo, mas vejo que é meu presente: Resistente, crítico e decadente.

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬


Eu Sou Feita De Pedaços De Espelhos - por RONILDA DAVID

Eu Sou Feita De Pedaços De Espelhos
Sabe… Eu sou feita de cacos de vidro Entre eles há espelhos, aço, E pedacinhos de margaridas.
Por vezes machuco quando tento dar carinho.