Avançar para o conteúdo principal

"Confesso que Vivi" - Pablo Neruda

Luto pela Bondade Quero viver num mundo sem excomungados. Não excomungarei ninguém. Não diria, amanhã, a esse sacerdote: «Você não pode baptizar ninguém porque é anticomunista.» Não diria ao outro: «Não publicarei o seu poema, o seu trabalho, porque você é anticomunista.» Quero viver num mundo em que os seres sejam simplesmente humanos, sem mais títulos além desse, sem trazerem na cabeça uma regra-, uma palavra rígida, um rótulo. Quero que se possa entrar em todas as igrejas, em todas as tipografias. Quero que não esperem ninguém, nunca mais, à porta do município para o deter e expulsar. Quero que todos entrem e saiam sorridentes da Câmara Municipal. Não quero que ninguém fuja em gôndola, que ninguém seja perseguido de motocicleta. Quero que a grande maioria, a única maioria, todos, possam falar, ler, ouvir, florescer. Nunca compreendi a luta senão como um meio de acabar com ela. Nunca aceitei o rigor senão como meio para deixar de existir o rigor. Tomei um caminho porque creio que esse caminho nos leva, a todos, a essa amabilidade duradoura. Luto pela bondade ubíqua, extensa, inexaurível. De tantos encontros entre a minha poesia e a polícia, de todos esses episódios e de outros que não contarei porque repetidos, e de outros que não aconteceram comigo, mas com muitos que já não poderão contá-los, resta-me no entanto uma fé absoluta no destino humano, uma convicção cada vez mais consciente de que nos aproximamos de uma grande ternura. Escrevo sabendo que sobre as nossas cabeças, sobre todas as cabeças, existe o perigo da bomba, da catástrofe nuclear, que não deixaria ninguém nem nada sobre a Terra. Pois bem: nem isso altera a minha esperança. Neste momento crítico, neste sobressalto de agonia, sabemos que entrará a luz definitiva pelos olhos entreabertos. Entender-nos-emos todos. Progrediremos juntos. E esta esperança é irrevogável.

Pablo Neruda, in "Confesso que Vivi"

Mensagens populares deste blogue

SP – Sindicato dos Pobres

Hoje inscrevi-me no Sindicato dos Pobres
E dos Sem-Abrigo – Todos que sobrevivem
Na terra dos Párias – País da Democracia
Sem direito a voto – Cidadãos menos nobres
Contra o Estado - Patrões que tudo decidem
Luta pela melhoria da esmola – Ordem do Dia!
Quero memorizar a Carta dos Direitos Humanos
Aprender bem o significado da palavra Hipocrisia
Que direitos poderia ter se a Justiça funcionasse
Parlamento, Deputados - Tempo dos Romanos
Aqueles que se servem e aproveitam da Democracia
O vil dinheiro – Uma força que tudo isto alterasse.
Quero ir para a rua, descalço – esfarrapado
Com a plebe esfomeada e esquecida protestar
Cartazes - Palavras de ordem – Quanto baste
Punhos cerrados – Gritar, gritar não ficar calado
Contra os Algozes – Os Pilatos, a não quererem mudar
A riqueza, o conforto - Que deles jamais se afaste!


Hélder Gonçalves
Agosto 2016


Comentários João Francisco Lima Santos Bom dia!🌅
Helder Fernando Gonçalves BOM DIA a todos os sindicalistas do SP (Rsos!)
João Francisco Lim…

Do hábito biscoitos d'açúcar

De pedaços de poesias 
Fiz uma nuvem de melodias 
No mundo de suaves revoadas 
Valsando em asas encantadas 

Nas palavras erguendo magias 
Dançando sons em rapsódias 
De paixões fragmentadas e fugidias 
Acolá, chegarei com outras histórias

Nos passos -  Carinho ao aconchegar 
Com doçura que imagina minha mente 
Meus sentidos se elevam  ao prestar 
Em compasso de superação finalmente! 

De Ti em mim sonhos... 
Infinitamente. 

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬













Honradez

Honradez... Tua Manta De Diamantes
Amanheça Para a vida, Para o melhor quetem Respeita a aliança Acredite que adiante O real do que éseu legado Espera...
Amanheça Para a boa vontade de Dar as mãos E o perdão, compartilhar Os sonhos Os sorrisos O pão...
Amanheça E dê avocê, perdão Porque o erro reconhecido É acolhedor para a alegria Da humildade que afasta a tristeza ... E traz a esperança de que... Hoje, vai dar certo!