.

.

Música de fundo FELIZ NATAL AMIGOS!

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

A Insónia

Image courtesy of marin / FreeDigitalPhotos.net


Acordei eram 5h52 minutos... Disse que acordei? Não estou muito certa de ter realmente acordado, pois sinto que não dormi nada. Parece que apenas vagueei pela noite com os olhos fechados e as imagens que vi, em vez de sonhos, foram de pensamentos corridos, assim daqueles que aparecem e desaparecem por instantes. “─ O que se passa comigo? -, murmurei em pensamento, “─ Porque não dormi?”.
 
Faço perguntas e mais perguntas, mas da minha mente não obtenho resposta... Estou cansada, ansiosa e inquieta... Porque estou assim? Suspiro e abro os olhos desta vez..., pois é, não dormi, ou se dormi foi pouco, constato, mas fico na dúvida. Sem paciência para ficar assim, nem acordada e nem a dormir, pego no telemóvel e escrevo o que se está a passar comigo escrevendo este texto. Não sei bem porque o faço, mas faço-o.
 
Estarei assim por ter bebido café, ou será porquê então, senão estou com nenhuma preocupação? Oh, sei lá porquê! Não estarei a ficar insone, espero. Decido parar de escrever, pois o sono não parece querer nada comigo hoje. Se não o fizer, com certeza não voltarei a adormecer.
 
Paro de monologar para tentar dormir, ainda tenho umas horinhas, afinal... Não são muitas, mas enfim são algumas. Antes poucas, que nada! Fecho os olhos e espero, pousando o telemóvel na almofada. Bocejo e espero... Faço uma contagem decrescente de números, iniciando em 200. Estou confiante que não chegarei até ao zero antes de adormecer, aproveitando o pouco tempo que me resta e não me engano. Adormeço sem dar por isso e acordo pela manhã 4h30 mais tarde...
 
Como me sinto?
 
Melhor, porém um pouco cansada ainda. Porém, já sei porque não dormi; era pura e simplesmente com saudades de ti. Consciencializei isso quando fui buscar-te ao aeroporto e te vi.
 
─ Sabes o que aprendi hoje?

─ Não, diz lá! ─ Respondeste aproximando-te de mim com aquele teu ar descontraído.
 
─ As saudades causam insónia!

A senhora da limpeza que passava por nós naquele exacto momento, parou perto de nós e disse:
 
─ Desculpem, não pude deixar de ouvir. Sabem quando a saudade causa insónia?

─ Não… ─ respondemos em uníssono.
 
─ É simples, é quando o amor é verdadeiro. Feliz dia de S. Valentim, aproveitem o estar juntas novamente. ─ E dizendo isto, afastou-se.
 
Quanto a nós, seguimos para casa para recuperar o tempo perdido. Esta noite, depois do amor não ficarei insone, porque nos teus braços irei dormir.
 
Amar é assim…


Cris Henriques

 

domingo, 29 de setembro de 2013

ENTRE AS PAREDES DO TEU MUNDO...

Imagem Google


Não sabia o que iria encontrar, mas mesmo assim fui adentrando pelo espaço desconhecido que me seduzia.
Passos indecisos... imprecisos... coração passeando pela boca e os pés flutuando em espumas ardentes.
A cabeça rodava, como um carrossel, fora de controle a cada milímetro conquistado.
Medo e desejo, lado a lado em audaciosa descoberta.
Sem querer transpus-me aos cenários dos teus sentimentos, tão reais e, ao mesmo tempo, profundamente fictícios que pude sentir os aromas, ouvir a música e, por fim, encantar-me com teus jardins, suspensos entre as Babilônias que se construiram em mim.
Transcendi o universo material... ultrapassei a barreira do som.
Voltar já é impossível, pois entre as paredes do teu mundo fiquei perdida e, todos os dias, tateio com mãos plasmáticas a porta de saída que não mais existe.

Malu Silva

sábado, 28 de setembro de 2013

Quando estamos sós














Quando estamos sós

Quando de facto estamos sós -
é quando famíla já não temos.
Amigos que fomos perdendo.
Quando não nos chamam de avós.
Querendo enxergar, já não vemos.
Recordações que vão correndo
Saudades, tantas,dentro de nós!

Hélder Gonçalves
Setembro 2012

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Repostando em tempo de festas em Salvador, Bahia, Brasil.
"27 de setembro dia de São Cosme e Damião, neste dia também se comemora o dia do Ancião (idoso), dia do Cantor, dia do Encanador,  dia mundial do Turismo e dia nacional do Doador de Órgãos, então o blog do Lu Cidreira dará muitos vivas e parabéns a todos esses em seu dia".
Os devotos de São Cosme e Damião costumam “dar Caruru de Cosminho” em suas casas durante o mês de setembro e principalmente no seu dia: 27 de setembro. A festa já começa durante os preparativos, e mexe com todo o comércio de feiras em Salvador, quando se tem uma procura maior dos ingredientes para a grande festa e quando a família se reúne para cortar os quiabos em forma de cruz e depois em extreitas rodelas, preparar os temperos, torrar e triturar o amendoim e a castanha, temperar a galinha e fazer os seus pedidos também. A quantidade dos quiabos do Caruru, geralmente chegam aos milhares, a depender da promessa, devem ser cortados por quem está oferecendo, mas vale a ajudas de participantes voluntários que também fazem a sua reza e pedidos aos santos gêmeos.
Nas proximidades do dia 27 de setembro, é comum encontrar, pelas ruas da Bahia, crianças, adultos , a espera de um prato de caruru, aliás, na Bahia, não se diz São Cosme e São Damião e sim São Cosme e Damião), para o caruru dos santos. A dupla imagem de madeira ou uma simples gravura emoldurada é exposta numa caixa enfeitada em papel de seda colorido, envolta em fitas e cheia de flores, rosas ou flores de laranjeira, muitas vezes. Não se pode comemorar santos tão populares nos lares baianos sem que se peça esmola para a missa.
Vale tudo para se fartar de uma prato de caruru: pode-se ir às ruas, sem a menor cerimônia, e esperar que pessoas simplesmente ofereçam as quentinhas do farto prato ou pode-se ir até a casa de familiares e amigos durante o período do mês de setembro para prestigiar os santos e saborear as iguarias afro-baianas. Grande também é o número de lares baianos que festejam o grande dia dedicado aos dois mártires da Igreja. Tão populares como São João, como Santo Antônio, os dois santos têm a sua festa comemorada sobretudo com um grande almoço, o caruru dos santos.
Em casa em que haja gêmeos: ou que os santos tenham evitado partos gêmeos. Ou que promovam a festa como tradição de família. Nenhum dia melhor para se saborear um grande almoço da cozinha baiana do que o 27 de setembro.
Por sua vez, Vieira Fazenda mostra quanto é atingido o culto de Cosme e Damião no Brasil, lembrando que a mais antiga igreja nestes rincões construída, na cidade Igaraçu, em Pernambuco, é dedicada aos dois santos gêmeos. “A fama dos seus milagres corria mundo. As mulheres tributavam-lhe culto para não terem parto duplo, e quando isso acontecia, imploravam a intercessão dos santos para os filhos gêmeos.
Em casa onde existam Cosme e Damião, não entra epidemia, porque eles foram sempre considerados advogados contra “feitiços, bruxarias, mau olhado e espinhela caída”. Isso quanto às origens européias da devoção. No que se refere ao ramo africano, sabe-se que foram os nagôs que nos trouxeram os seus gêmos, Ibeji, transformados numa das maiores tradições vivas das populações baianas, especialmente. Nas casas de famílias católicas, suas imagens são comumente encontradas, em oratórios, pequenos altares ou simples prateleiras reservadas. No seu dia, estes pequenos altares tem desde de simples velas acesas, a oferendas como mel, caruru, balas e farofas de azeite. É comum també, distribuir pequenos saquinhos recheados de doces, balas e brinquedos as crianças nas ruas, comunidades onde se habita.
Desde a véspera, a movimentação todas é em torno da finalização do preparo da comida de preceito: caruru, vatapá, muito camarão seco, leite de coco, azeite, milho branco, feijão preto, feijão fradinho, ximxim de galinha, arroz branco, farofa de mel, banana da terra frita, amendoim assado,coco seco cortado em tirinhas,inhame, abóbora, batata doce, pipoca, rapadura, cana cortada,acarajé, abará e ovo em rodelas.
Os primeiros a serem servidos são os donos da festa: São Cosme e São Damião. As oferendas são precisamente colocadas no altar decorado para a ocasião Procedida a cerimônia, chamam-se os sete meninos, especialmente convidados para iniciar a comilança. A tradição manda que se prepare uma roda de sete meninos. Geralmente é colocada uma toalha de mesa no chão e as crianças se sentam ao redor. Eles geralmente sentam-se no chão e comem em pequenos pratinhos de barro, ou em um único grande prato como uma bacia. Não usam talheres, usam as mãos. Mas algumas mudanças já ocorrem em torno da tradição do Caruru de cosminho como misturar meninos e meninas, comer com talheres; ao final eles levantam-se e juntos cantam a musica de Cosminho juntos com os outros convidados da festa.
“São Cosme mandou fazer
A sua camisa azul
No dia da festa dele
São Cosme quer Caruru
Vadeia Cosme, vadeia!
Vadeia Cosme, vadeia!”
“Cosme e Damião
Vêm comer teu Caruru
Que é de todo ano
Fazer Caruru pra tu
Vem cá, vem cá, Dois-dois
Vem cá, vem cá, Dois-dois
E já os garotos estão comendo, no seu lambuzado e na sua alegria, e os adultos, em redor, cantam deliciosas toadas.
Se acabam, levantam a tigela e cantam:
Vamos levantar
O Cruzeiro de Jesus
No céu, no céu, no céu
A Santa Cruz
Antes, outras canções são entoadas, com grande entusiasmo dos presentes, meninos ou adultos:
São Cosme me mandou fazer
Uma camisinha azul
Quando chega o dia dele
São Cosme quer caruru
E mais:
São Cosme e São Damião
Cheira cravo, cheira rosa
Cheira flor de laranjeira
Vadeia Cosme, vadeia
Vadeia Cosme na areia
O jornalista e poeta Cláudio Tuiuti Tavares recolheu, em excelente estudo sobre Ibeji, variantes destas cantigas e numerosas outras como:
Cadê sua camisa
Dois-dois!
Dois jogando bola
Com ela
Dois jogando bola
Quem não tem pena
Mamãe
Quem não tem dó
De ver Dois-dois
Na roda
Brincando só
Cosme e Damião
Ogum e Alabá
Vamos catar conchinha
Na beira do mar
Os apreciadores da festa e do farto prato típico têm lugar certo para comê-lo gratuitamente do seu grande dia de festejo: Caruru dos Sete Poetas, Mercado das Sete Portas, Instituto de Artesanato Mauá, Mercado de Santa Bárbara, Mercado Modelo
Padroeiro dos farmacêuticos, médicos, babeiros e cabeleireiros, São Cosme e Damião protege as crianças , os orfanatos, creches,as doceiras filhos em casa, além de proteger com doençcas como hérnia e a peste.Os emblemas dos santos são caixa com ungüentos, frasco de remédios, folha de palmeira.
Por que sete meninos são convidados de honra para o almoço de Cosme e Damião?
Havia sete irmãos: Cosme, Damião, Doú, Alabá, Crispim, Crispiniano e Talabi, todos mabaças, e é por isso que se torna necessário dar o caruru em honra de sete meninos, especialmente convidados.
Mas, se os festejos são profanos, como os famosos carurus, se das igrejas católicas saem procissões dos dois mártires, como a da Lapa à Soledade, nos terreiros dos candomblés se realizam durante todo o dia cerimônias e as mesmas comidas também são esmeradas para que Ibeji sinta, para sua maior glória, a fé dos seus devotos.
Um mês depois, no dia 25 de outubro, as cerimônias se repetem, embora com menos intensidade: comemora-se a festa de São Crispim e Crispiniano, também mabaças e confundidos na crendice popular com Cosme e Damião, cujas imagenzinhas com sua palma, sua pena e seu livro, estão em quase todos os lares da Bahia, de negros ou de brancos, de pobres ou de ricos, que tenham coração para crer, com sua fé inabalável, nos grandes protetores da saúde da espécie humana.
Fonte: www.culturabaiana.com.br

Vejam e leiam mais festas e feriados na cidade de Salvador, Bahia, Brasil, no link abaixo:


quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Coração de Poeta


                       Editora Globo                                  

 Coração de Poeta
Coração de poeta, quanto é falso !
Traiçoeiro, por demais perigoso.
Sem sentido, é cego em servidão-
refém, seguindo passo a passo
Ilusões, sonhos - quão doloroso!
Das malsãs tormentas que ficarão,
após sonhos, da ilusão em acaso

Coração de poeta, eterno sofredor.
Da sua loucura , segue impreparado,
sempre no logro  e da má avaliação,
nunca pensa nem ouve seja o que for:
Independente, livre, mesmo magoado-
é ele que pensa, que dita a condição:
Porque ele é vida, é  sonho,  é Amor!
Hélder Gonçalves

Setembro 2013

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

AMORES






AMORES



Amores – tantos eu tive!
No coração pouco ficou.
Mas aquele que sobrevive,
bem depressa me agarrou!



Docarmo

06-06-2012

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Já Bocage não sou!...










Já Bocage não sou!... À cova escura
Meu estro vai parar desfeito em vento...
Eu aos céus ultrajei! O meu tormento
Leve me torne sempre a terra dura.

Conheço agora já quão vã figura
Em prosa e verso fez meu louco intento.
Musa!... Tivera algum merecimento,
Se um raio da razão seguisse, pura!

Eu me arrependo; a língua quase fria
Brade em alto pregão à mocidade,
Que atrás do som fantástico corria:

Outro Aretino fui... A santidade
Manchei!... Oh! Se  me creste, gente ímpia,
Rasga meus versos, crê na eternidade!

Bocage

Poeta português, natural de Setubal

.

.

.