.

Música de fundo



domingo, 14 de julho de 2013

John Searle - A Filosofia Da Inteligência Artificial -John Searle - The Philosophy Da Intelligence Artificial

Searle, filósofo norteamericano, começou sua educação universitária na Universidade de Wisconsin-Madison, e posteriormente, obteve um diploma de graduação e um doutorado em filosofia e ética na Universidade de Oxford. Ele começou a ensinar em Berkeley, em 1959, onde, entre suas muitas distinções, ele foi o primeiro professor titular a participar do movimento de Liberdade de expressão. Searle recebeu no ano 2000, o Prêmio Jean Nicod, que é um prêmio concedido anualmente em Paris, para um filósofo líder na área de Filosofia da Mente ou filosoficamente orientado a ciência cognitiva. Sua filosofia começa com o estudo do campo da linguagem em 'Atos de Fala', o passo inicial em uma longa viagem e ainda inacabada abraçando não só a língua, mas também nos domínios da consciência e dos estados mentais, da realidade social e institucional, da racionalidade, da conexão do "eu" (self) com a intencionalidade individual e coletiva, da percepção e do realismo direto e, mais recentemente, na busca de uma explicação de uma estrutura racional como base para a existência de livre-arbítrio.

Política

Na década de 1950, como estudante de graduação da Universidade de Wisconsin, Searle foi o secretário de "Estudantes contra Joseph McCarthy" (McCarthy era então o senador de Wisconsin) Enquanto um professor em Berkeley, em 1964, juntou-se ao Movimento Liberdade de Expressão "Free Speech Movement"  opostos as políticas da administração da universidade. Mais tarde, em 1969, ele tomou o partido do governo contra os estudantes sobre Parque do Povo (People's Park). Também em 1969, ele atuou como presidente do Comitê de Liberdade Académica do Senado Académico da Universidade da Califórnia.Ele foi o autor de "A Guerra no Campus: Um olhar solidário a Universidade em Agonia" (1971).  O livro tentou investigar as causas por trás dos levantes universitarios da época. Nele, Searle observa: "Eu tenho sido atacado por ambos pelo Comitê de Atividades Anti-Americanas e ... várias polemistas radicais .... Estilisticamente, os ataques são curiosamente similares. Ambos dependem fortemente de insinuação e conotações, e ambos a exibir um ódio. - quase se poderia mesmo dizer terror - de uma análise detalhada e dissecção de argumento". Ele afirma: ". [M]inha mulher foi ameaçada de que eu (e outros membros da administração) poderia ser assassinado ou violentamente atacado."No ano 2000 na Espanha, Searle foi condecorado com o prêmio Jovellanos "Resistência e Liberdade" Esse prêmio é concedido as pessoas de qualquer parte do mundo que se distinguiram pela sua luta pela liberdade e direitos humanos.
Na década de 1980 Searle e sua esposa, Dagmar, uma advogada, era a dona de metade de uma propriedade contendo um conjunto de apartamentos com 17 unidades em Berkeley. As leis de Berkeley que controlavam o aluguél estavam causando ao casal a perder dinheiro todos os meses. Dagmar, a esposa de Searle, entrou com uma ação alegando que a lei de Berkeley, as leis de controle de aluguél eram muito favoraveis aos inquilinos e negavam aos senhorios seus direitos constitucionais. O tribunal decidiu a favor da familia Searle. Este julgamento prevaleceu diante do recurso à Suprema Corte da Califórnia. Isso levou a Suprema Corte da Califórnia a derrubar a política de controle de aluguéis da cidade de Berkeley, Califórnia, em que veio a ser conhecida hoje em dia, como a "decisão Searle." O governo da cidade alegou isso levou a um significativamente aumento em Berkeley no "níveis do valor do aluguel."
Em um artigo de opinião escrito logo após 9/11, ele argumentou que os ataques foram parte de uma luta de longo prazo, cuja única solução era eliminar os governos que o terrorismo apoiado

Filosofia -Atos de Fala

O trabalho mais antigo de Searle, o qual deu-lhe uma estável reputação, foi sobre os atos de fala. Ele tentou sintetizar ideias de muitos colegas, entre eles J.L. Austin (the term "illocutionary act"), Ludwig Wittgenstein, G.C.J. Midgley (the distinction between regulative and constitutive rules), e sua própria tese, em 'Atos de Fala', dizendo que tais atos são constituídos por regras de linguagem. Ele também se inspirou na obra de P.F. Strawson, John Rawls, e H. Paul Grice (a análise do significado como uma tentativa de ser compreendido), Hare e Stenius (a distinção, sobre o significado, entre a força ilocucionária e conteúdo proposicional), e William P. Alston, que defendia que significado da sentença consiste em conjuntos de regras regulativas exigindo o orador para realizar o ato ilocucionário indicado pela sentença, e que tais atos envolvem a emissão de uma sentença que (a) indica que um executa o ato, (b) significa o que se diz, e (c) endereça a uma audiência na vizinhança. Em seu livro 'Speech Acts' (1969), Searle propõe a combinar todos esses elementos para dar conta dos chamados "atos ilocucionários", que J.L. Austin tinha introduzido em "Como Fazer Coisas com palavras" How To Do Things with Words.
Apesar de sua intenção anunciada (1969, 54)  para apresentar uma "análise completa do ato ilocucionário ", Searle, na verdade não dá uma análise. Em vez disso, ele fornece uma análise de, supostamente, um protótipo do ato ilocucionário de prometer, e oferece um conjunto de regras semânticas com a intenção de representar o significado linguístico de dispositivos indicando (supostamente) adicionais tipos de atos ilocucionários (1969, 57-71). Dentre os conceitos apresentados no livro 'Speech Acts', um deles é a distinção entre a "força ilocucionária" e "conteúdo proposicional" de uma declaração. Searle não define precisamente o primeiro, como tal, mas introduz várias forças ilocucionários possíveis apresentando exemplos. De acordo com Searle, as frases:
  1. Sam fuma regularmente.
  2. Sam fuma regularmente?
  3. Sam, fume regularmente!
  4. Que Sam fume regularmente!
Continua na proxima parte!
Fonte: Wikipédia
  Samantha M.David
                                                                      Colaboradora