Avançar para o conteúdo principal

Acredito Que A Idade Está No Coração -BIOGRAFIA -Believe That You're In The Middle Heart-BIOGRAPHY


Meu nome é Francisco Manuel Godinho Cabral,natural de Lisboa da Freguesia do Socorro Mouraria.
Casado com Celeste Fernanda de Jesus Santos Goudinho Cabral,falecida há 12 anos.
Sou pai de Maria Helena Godinho Cabral Nunes de Carvalho,João Pedro Santos Goudinho Cabral e Francisco Manuel Santos Goudinho Cabral.
Fui empregado Bancario prospector do Banco Espirito Santo,reformado Capitão de Artilharia antiarea miliciano.
Cursei no Colegio Militar e Faculdade de Ciências de Lisboa com aproveitamento nas cadeiras de matematicas gerais,algebra superior,calculo infinitesimal,geometria descritiva,desenho rigoroso,desenho de maquinas e desenho topografico e cartografico.
Militarmente frequentei a Escola de artilharia em Vendas Novas,o GACA em Cascais e Santa Margarida.
Quarteis da Penha de França-Queluz,Quinta da Vitoria/Sacavém e Baterias anti aereas da defesa de Lisboa.
No desporto fui destaque em:
Diploma de honra como 1º classificado em Xadrez em 1937 e 2º também no xadrez em 1938.
02 vezes campeão na prova do jogo da Malha - 1937 e 1939.
Capeão em 1º lugar em Basket-ball em 1936.
Estive como Presidente durane oito anos no Lar dos bancarios em Azeitão.
Residi três anos no Lar das Meninas de Odivelas, na Luz e actualmente  no Lar residencial do Monte Pio no Parque das Nações.
Possuo nove netos e 12 bisnetos. Nasci em 29 de Janeiro e tenho 92 anos de idade.
Gosto de ouvir Julio Iglesias, filmes classicos e participar em tertulias de poesia

Para vossa reflexão deixo-vos do autor-Eugène Delacroix, in 'Diário'

  Simplicidade e Perseverança
 
"O que pensas que foi a vida dos homens que se conseguiram erguer acima do comum?
Um combate contínuo. 
Se se tratar de um escritor, para escrever, uma luta contra a preguiça (que ele sente tanto como o homem comum): e isto porque o seu génio quer manifestar-se - e ele não obedece apenas ao desejo vão de se tornar célebre, mas ao apelo da sua consciência. 
Calem-se portanto os que trabalham com frieza: poder-se-á imaginar o que é trabalhar sob a influência da inspiração? 
Que medo, que hesitação sentimos em despertar esse leão adormecido, cujos rugidos fazem estremecer todo o nosso ser! 
Mas, voltando atrás: ser firme, simples e verdadeiro - eis o útil ensinamento de todos os momentos. "




                                                           Francisco M.G.Cabral
                                                              Colaborador senior


Mensagens populares deste blogue

O Poema que não consegui escrever

Para Ti, o que podia ser um Poema
Para Ti e por Ti, tento ser poeta. Mas, nessa vã tentativa, tolamente só alcanço voar em asas infinitas,
seguindo para além do eterno, respirando ao som de lágrimas protegidas pela esperança: De mais um abraço apertado e mais um longo e doce beijo Sabe... Gostava de ser Poeta como Tu, somente para ter o poder de falar do meu coração direitinho apontado ao teu, mas a minha tentativa é tão tola - Pois sei que esse meu escrever de poeta nada tem, além de seguir em dor pela constância da madrugada, tecendo dentro do meu coração o mais perfeito da tua alma amada num receio de perder o fio do que em mim parece ser inteligência.
Porque amando-te meu Anjo, eu...queria ser poeta singela como as flores, Cálida como o amanhecer, terna como o teu sorriso. Porém terei de enfrentar a dura realidade aceitando contente, como uma pobre agradecida, a escassa esmola em aqui, ficar - Sentindo-te, olhando-te  apaixonada, entregue ao deleite do encanto e à saudade que sempre mo…

sorridente, calada e persistente.

Era para ser ao contrário dessa fumaça, que assoprada ou mesmo inalada se vai... Era para ser volátil como um passe despercebido de mágica. Era para ser apenas alguns segundos de choro, de lágrimas vazias de alegrias, preenchidas de vis solidões Era para ter sido, mas nunca foi, pois sempre é... Essa dor corrupta, invasora, que desdenha da minha confusão por não compreender, as razões da vida em impor ela em mim, como carrasca sorridente, calada e persistente. Era para ser uma nesga do que passou e dormiu no tempo, mas vejo que é meu presente: Resistente, crítico e decadente.

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬


Do hábito biscoitos d'açúcar

De pedaços de poesias 
Fiz uma nuvem de melodias 
No mundo de suaves revoadas 
Valsando em asas encantadas 

Nas palavras erguendo magias 
Dançando sons em rapsódias 
De paixões fragmentadas e fugidias 
Acolá, chegarei com outras histórias

Nos passos -  Carinho ao aconchegar 
Com doçura que imagina minha mente 
Meus sentidos se elevam  ao prestar 
Em compasso de superação finalmente! 

De Ti em mim sonhos... 
Infinitamente. 

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬