Avançar para o conteúdo principal

Sopa de Cação à Alentejana & Um Tinto Monte Velho


Para 4 pessoas

800 g de cação fresco em postas
10 dentes de alho
300 g de pão alentejano do dia anterior, cortado em pequenos pedaços
80 g farinha de trigo
1 dl de azeite virgem extra
0,5 dl de vinagre de vinho branco
2 molhos de coentros frescos picados
1 folha de louro
2 g de colorau
q.b. sal marinho tradicional

Limpe o cação de pele, coloque num recipiente com água, umas gotas de vinagre e sal, durante 1 hora.
Num almofariz amasse o alho, os coentros, um pouco de sal, e azeite. Leve ao lume, deixe puxar um pouco e junte o cação.
Tape com água e deixe cozinhar. Retire o cação e reserve.
Faça um polme com farinha e água, junte ao molho do peixe e deixe engrossar. Junte o peixe, perfume com o vinagre, sirva com pão bem fininho, polvilhado com colorau.
 

Sugestões de Vinho
Por: Hélder Gonçalves

Monte Velho Tinto Alentejano...
Que dizer?
Ora bem, é um vinho de paladar a saber a fruta madura,bem encorpado,lembrando subtilmente o estágio em madeira, essa maravilha, pronuncia-nos ao palato, um equilíbrio de corpo,com uma execelente estruturação de taninos suaves. Tem a graduação alcoólica com o volume de 14%, é isto, é um vinho lusitano tinto, seco e fino. Produzida na Herdade do Esporão, em óptimas condições climatéricas e geológicas, que aliás lembra e muito a Herdade Dos Coelhos,do Sr. Afonso cenário do segundo livro já lançado "Origens".
Depois dessa sopinha, umas taças do Monte Velho, é de ficar macio Pá!
Imagens do Vinho: Google
Fotografia: Arquivo Pessoal

Mensagens populares deste blogue

O MEU NATAL

Do hábito biscoitos d'açúcar

De pedaços de poesias 
Fiz uma nuvem de melodias 
No mundo de suaves revoadas 
Valsando em asas encantadas 

Nas palavras erguendo magias 
Dançando sons em rapsódias 
De paixões fragmentadas e fugidias 
Acolá, chegarei com outras histórias

Nos passos -  Carinho ao aconchegar 
Com doçura que imagina minha mente 
Meus sentidos se elevam  ao prestar 
Em compasso de superação finalmente! 

De Ti em mim sonhos... 
Infinitamente. 

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬













O Poema que não consegui escrever

Para Ti, o que podia ser um Poema
Para Ti e por Ti, tento ser poeta. Mas, nessa vã tentativa, tolamente só alcanço voar em asas infinitas,
seguindo para além do eterno, respirando ao som de lágrimas protegidas pela esperança: De mais um abraço apertado e mais um longo e doce beijo Sabe... Gostava de ser Poeta como Tu, somente para ter o poder de falar do meu coração direitinho apontado ao teu, mas a minha tentativa é tão tola - Pois sei que esse meu escrever de poeta nada tem, além de seguir em dor pela constância da madrugada, tecendo dentro do meu coração o mais perfeito da tua alma amada num receio de perder o fio do que em mim parece ser inteligência.
Porque amando-te meu Anjo, eu...queria ser poeta singela como as flores, Cálida como o amanhecer, terna como o teu sorriso. Porém terei de enfrentar a dura realidade aceitando contente, como uma pobre agradecida, a escassa esmola em aqui, ficar - Sentindo-te, olhando-te  apaixonada, entregue ao deleite do encanto e à saudade que sempre mo…