.

Música de fundo



sábado, 23 de junho de 2012

Os "Emergentes" Camaleões



Há muito pouco sim,de muita gente.

Dizer SIM ou NÃO
Com a determinação daqueles que sabem o que
querem é apanágio de alguns, muito poucos.
Rodeiam-nos sim, um mundo de imprecisos,
cinzentos,por vezes:Loquazes, demagogos

- os mais perigosos!
Também os que são como:
Os camaleões
Os oportunistas
...E
Uma raça nova que eu defino como:

Os "emergentes"

Esta raça, é originária, normalmente, da província,
de pais muito pobres, que ao cabo de enormes
sacrifícios e tremendas privações, conseguiram
dar aos filhos os estudos que eles não tiveram.
Alguns acabam "doutores" chegam com os "canudos" 

às grandes urbes, instalam-se nas empresas e até
na política, com mais ou menos mérito conseguem
postos de chefia e, aí, bem instalados nos seus gabinetes
sentem o cheiro do poder.
Então as raivas contidas desde a infância sofrida,
das frieiras nas mãos geladas pelo frio, da escassa
alimentação, das sopas de "cavalo cansado" do trabalho rude,
dos pés descalços,... Aqui, adapta-se o provérbio popular:

 "se queres conhecer o vilão, põe-lhe a chibata na mão".

É este tipo que classifico de "emergente"
eles são muitos.
Olhemos para os nossos políticos!
Dá-me a liberdade de reflectir sobre estes personagens
que atormentam a nossa vida.
A experiência sentida nas suas infâncias pouco coloridas,
ao invés de os humanizarem, pelo contrário, foi o caldo
onde os baixos sentimentos proliferaram.
Como os franceses dizem:

 "c!est la vie" 


Bastante oportuno o espírito observador,
crítico e acutilante.




Hélder Gonçalves


Foto:Folha Da Bahia