Avançar para o conteúdo principal

O Príncipe, O Oceano e O Som




...O Príncipe Fernando olhava ao longe as vagas do oceano,seus pés descalços, deixavam atrás de si, solitárias pegadas, como se na espuma branca que bailavam na areia daquela praia deserta, contassem suas dores, o mapa de suas lágrimas secretas.
Ele seguia naquela trilha, altivo, as mãos enfiadas nas algibeiras das calças e a sua frente, em seus infortúnios toda sua vida passava-se diante dos seus olhos, ao longe nas profundezas do seu coração partido, ouvia uma chamado fino e suave, mas não atinava d’onde vinha aquele som, mas a medida que o sol pintava o céu em fúscias e fogo, ele sentia que aquele som, era uma promessa d’algo que a muito ele ansiava, desejava com todas as forças do seu espírito.
Não tinha forma, não tinha traços, não existia uma imagem sólida, consciente a qual pudesse apegar-se, mas entretanto era uma presença viva e latente, uma presença que pouco a pouco o envolvia de ternuras macias, d’uma quentura que aconchega-lhe o frio da solidão.
Parou um bocadinho, cerrou os olhos meigos e inteligentes, pescou do meio da areia uma pequenina pedra em forma curiosa de coração, um sorriso nasceu-lhe nos lábios, movendo o bigode garboso, ele sentiu que aquela pedrinha, era um sinal, um prenúncio d’algo de muito bom e real que lhe ia acontecer.
De repente riu-se, sentindo feliz como a muito não sentia-se e tal qual um jovem rapaz, caminhou apressado de volta para casa, pois já sabia onde que ia encontrar a morada daquele som...
Lá na caixa mágica das missivas, estava a fonte do segredo, estava o rosto daquela presença de ternuras que cantava-lhe a promessa eterna de vida e amor.
E seguiu confiante, bem disposto, cantarolando um fado de Coimbra e seus fieis Amigos, a cadelinha, o papagaio e o gato, seguiam-lhes os passos, pressentindo que algo na tristeza do seu dono estava mudando de rumo.
Mais um bocadinho a frente parou, olhou outra vez as vagas do oceano e atento ouviu:
O  som mavioso como um fio doiro... Ele soprou um beijo na ponta dos dedos e com os olhos rasos d’agua murmurou:


- Já estou chegando Meu Amor... Já estou chegando... I LOVE YOU...


I LOVE YOU FOREVER.

Loubah Sofia - Alma Feita De Ti

In ensaio sob - As Origens Do Réfugio 
Fotografia: Arquivo Pessoal

Mensagens populares deste blogue

O Poema que não consegui escrever

Para Ti, o que podia ser um Poema
Para Ti e por Ti, tento ser poeta. Mas, nessa vã tentativa, tolamente só alcanço voar em asas infinitas,
seguindo para além do eterno, respirando ao som de lágrimas protegidas pela esperança: De mais um abraço apertado e mais um longo e doce beijo Sabe... Gostava de ser Poeta como Tu, somente para ter o poder de falar do meu coração direitinho apontado ao teu, mas a minha tentativa é tão tola - Pois sei que esse meu escrever de poeta nada tem, além de seguir em dor pela constância da madrugada, tecendo dentro do meu coração o mais perfeito da tua alma amada num receio de perder o fio do que em mim parece ser inteligência.
Porque amando-te meu Anjo, eu...queria ser poeta singela como as flores, Cálida como o amanhecer, terna como o teu sorriso. Porém terei de enfrentar a dura realidade aceitando contente, como uma pobre agradecida, a escassa esmola em aqui, ficar - Sentindo-te, olhando-te  apaixonada, entregue ao deleite do encanto e à saudade que sempre mo…

sorridente, calada e persistente.

Era para ser ao contrário dessa fumaça, que assoprada ou mesmo inalada se vai... Era para ser volátil como um passe despercebido de mágica. Era para ser apenas alguns segundos de choro, de lágrimas vazias de alegrias, preenchidas de vis solidões Era para ter sido, mas nunca foi, pois sempre é... Essa dor corrupta, invasora, que desdenha da minha confusão por não compreender, as razões da vida em impor ela em mim, como carrasca sorridente, calada e persistente. Era para ser uma nesga do que passou e dormiu no tempo, mas vejo que é meu presente: Resistente, crítico e decadente.

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬


Eu Sou Feita De Pedaços De Espelhos - por RONILDA DAVID

Eu Sou Feita De Pedaços De Espelhos
Sabe… Eu sou feita de cacos de vidro Entre eles há espelhos, aço, E pedacinhos de margaridas.
Por vezes machuco quando tento dar carinho.