.

Música de fundo



segunda-feira, 18 de junho de 2012

No Confronto Do BEM E Do MAL





As dicotomias da vida, estão bem definidas
no confronto do BEM e do MAL e do ressurgimento
de outra vida.
Revejo-me no pressuposto que:
Quando batemos no chão, e nada mais temos onde
nos agarrar, sem a mão estendida que nos ajude,
ainda pode existir um lampejo de esperança
Uma pequena luz que nos indique o caminho
A forma como nos podemos erguer.
Aconteceu comigo: então, aí, surge outro "EU",
bem diferente daquele que estava caído,
exausto,desprendido,desiludido,com a alma seca
que nem um deserto!
Esse outro "EU”, nasce diferente, mais forte,
bem curtido pela dor.
O seu olhar torna-se mais abrangente por tudo
o que anteriormente não queria ver - de repente,
dentro de si, instala-se :
Uma paz
Uma serenidade
Uma receptividade superior em ouvir, escutar atentamente,
desculpar o que anteriormente lhe parecia imperdoável.
Sim...
Quando descemos até ao último degrau e por qualquer
razão imperceptível,saímos do aterro
A nossa alma fica temperada, desnuda da roupagem
em que se encobria, para dar lugar à nudez:
Da virtude
Da tolerância
Da valorização das prioridades.
Aprendermos a viver com nós próprios.
Ouvindo melhor a voz dos nossos sentimentos,
gerindo o nosso tempo, dando valor a cada
minuto que passa.
Amar, amar sempre, continuar a amar mesmo
o impossível
Enternecer-se até às lágrimas pela canção
que escuta
Pelo admirar do Belo
Pelo beijo dos amantes
Pela solitária contemplação de um por do sol
Pelos silêncios
Pela fiel companheira:
A sua infinita e doce Tristeza!
Do que vale a vida sem um pouco de aventura?
Sem a ousadia de entrarmos, por vezes, no desconhecido, termos a coragem de nos desnudarmos, tal como somos, sem pensarmos no que estão pensando de nós.
Avançar, por vezes, sem a certeza que dê certo, com a nossa determinação de estarmos seguindo simplesmente a nossa intuição, o nosso caminho, indiferente às críticas daqueles que nada arriscam, nas suas confortáveis poltronas.
Afrontarmos aqueles que estão sempre certinhos naquilo que fazem, remetendo-se, unicamente, ao lugar de espectadores, espectadores daqueles que no palco
da vida, exibem a dança, pelo simples facto de quererem dançar.
Repito:

As dicotomias da vida, estão bem definidas
no confronto do BEM e do MAL e do ressurgimento
de outra vida.
 

Hélder Gonçalves


Dissertação de leitura critica e dinâmica
Da obra:
Serpentes Das Guerras Na Vida A Fé

Fotografia:nossa