Avançar para o conteúdo principal

Favas Guisadas à Portuguesa

 


  Ingredientes:
  • 1,5 kg de favas descascadas
  • 1 chouriço de carne
  • 1 chouriço de sangue
  • 500 grs. de entrecosto
  • 500 grs. de toucinho entremeado
  • 3 colheres de sopa de polpa de tomate
  • 1 dl de vinho branco
  • 1 cebola grande
  • 2 dentes de alho
  • 1 colher de sopa de banha
  • 3 colheres + ou - de azeite
  • 1 molhinho de coentros
  • sal q.b.
  • pimenta moída na altura q.b.
Confecção:
Corte o entrecosto em bocados.
Faça um refogado com o azeite, banha,
 cebola e alhos picados.

Logo que comece a alourar, junte o 
toucinho, entrecosto deixando suar 
um pouco, mexendo de vez em quando.
Junte depois o vinho branco, a polpa 
de tomate e o chouriço e volte a 
 deixar suar um pouco.

Adicione cerca de 5 dl de água ou caldo 
de carne e deixe cozer 30 minutos ou
 mais se carnes estiverem rijas.

Logo que o chouriço estiver cozido
retire-o.

Quando o toucinho e o entrecosto 
estiverem quase cozidos, junte as 
favas, o chouriço de sangue, o ramo 
de coentros atados com fio de cozinha,
 e um pouco de água.

Deixe cozer, temperando se necessário 
de sal e pimenta.

Depois das favas cozidas, retire as carnes 
e o chouriço de sangue e deixe apurar.

Sirva as favas cobertas com as carnes 
e chouriços.

Acompanhe com salada de alface 
temperada e polvilhada com 
coentros picados. 


Editora Culinária
do Roteiro 
Gastronómico de Portugal 
Roteiro Gastronómico de Portugal


Fotografia: Arquivo Pessoal 


Mensagens populares deste blogue

O Poema que não consegui escrever

Para Ti, o que podia ser um Poema
Para Ti e por Ti, tento ser poeta. Mas, nessa vã tentativa, tolamente só alcanço voar em asas infinitas,
seguindo para além do eterno, respirando ao som de lágrimas protegidas pela esperança: De mais um abraço apertado e mais um longo e doce beijo Sabe... Gostava de ser Poeta como Tu, somente para ter o poder de falar do meu coração direitinho apontado ao teu, mas a minha tentativa é tão tola - Pois sei que esse meu escrever de poeta nada tem, além de seguir em dor pela constância da madrugada, tecendo dentro do meu coração o mais perfeito da tua alma amada num receio de perder o fio do que em mim parece ser inteligência.
Porque amando-te meu Anjo, eu...queria ser poeta singela como as flores, Cálida como o amanhecer, terna como o teu sorriso. Porém terei de enfrentar a dura realidade aceitando contente, como uma pobre agradecida, a escassa esmola em aqui, ficar - Sentindo-te, olhando-te  apaixonada, entregue ao deleite do encanto e à saudade que sempre mo…

sorridente, calada e persistente.

Era para ser ao contrário dessa fumaça, que assoprada ou mesmo inalada se vai... Era para ser volátil como um passe despercebido de mágica. Era para ser apenas alguns segundos de choro, de lágrimas vazias de alegrias, preenchidas de vis solidões Era para ter sido, mas nunca foi, pois sempre é... Essa dor corrupta, invasora, que desdenha da minha confusão por não compreender, as razões da vida em impor ela em mim, como carrasca sorridente, calada e persistente. Era para ser uma nesga do que passou e dormiu no tempo, mas vejo que é meu presente: Resistente, crítico e decadente.

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬


Do hábito biscoitos d'açúcar

De pedaços de poesias 
Fiz uma nuvem de melodias 
No mundo de suaves revoadas 
Valsando em asas encantadas 

Nas palavras erguendo magias 
Dançando sons em rapsódias 
De paixões fragmentadas e fugidias 
Acolá, chegarei com outras histórias

Nos passos -  Carinho ao aconchegar 
Com doçura que imagina minha mente 
Meus sentidos se elevam  ao prestar 
Em compasso de superação finalmente! 

De Ti em mim sonhos... 
Infinitamente. 

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬